Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Comunicados

Receitas do mercado digital e dos direitos de produtores e artistas juntas atingem 80% do volume total de mercado em 2019, indica relatório anual da Associação Fonográfica Portuguesa e da AUDIOGEST

AFP (Associação Fonográfica Portuguesa) e a AUDIOGEST (Associação de Gestão de Direitos de Produtores Fonográficos) apresentam relatório anual do mercado discográfico de 2019 com um total de €35,1 milhões de receitas nacionais de música gravada e dos direitos de artistas e produtores musicais. Face a 2018 o mercado musical nacional registou um aumento de 10,8%.

Na totalidade, os direitos cobrados em representação de artistas e produtores cresceu 9,4%, com cerca de € 15 milhões em receitas e correspondendo a 42,7% do mercado total, seguido pelo mercado digital, que cresceu 30% e atingiu o patamar de € 12,9 milhões de receitas, correspondendo a 37% do mercado global.

Streaming de música representa o maior aumento dos serviços online e a componente mais significativa com um total de 93% do mercado digital, resultando na quebra nos descarregamentos de Download, que correspondem a 5% das receitas digitais, sendo os restantes 2% valores relativos ao segmento “Mobile”. No que diz respeito ao uso do Streaming, as Subscrições lideram as receitas (€7,94mm) com uma subida de 29,3%, porém o maior aumento corresponde a Vídeos (€2,7mm) que valorizaram 52% e Streaming suportado por publicidade (€1,45 mm) que revelam um acréscimo de 40,3%.              

Em relação a cobrança de direitos em representação de artistas e produtores, a maior concentração das receitas está na Execução Pública, que apresentou crescimento de 13% em relação ao ano anterior e atingiu a marca de € 8,1 milhões.

No ano transato, as vendas físicas indicam um declínio de 12,6% e passam a representar 19,2% do mercado total. O crescimento das receitas de Vinil (€1,67mm) mantém-se com o significativo aumento de 23,4%, em relação aos dados apresentados em 2018, refletindo já 25% do mercado físico juntamente com 71% de vendas em CD e 4% de Singles, DVD e outros. A nível do repertório, verifica-se que a música nacional regista 33% das receitas em suporte físico. O consumo de música estrangeira é ainda mais acentuado nos suportes digitais com 87%.

No top 3 de músicas mais ouvidas nas Rádios pelos portugueses, fazem parte: ‘I Don’t Care’ de Ed Sheeran & Justin Bieber, ‘Always’ de Gavin James e ‘Be Alright’ de Dean Lewis.

Os lideres dos dez primeiros lugares dos álbuns mais vendidos conta com a presença: ‘The Platinum Collection’ dos Queen, ‘A Star is Born’ de Lady Gaga & Bradley Cooper, ‘Duro’ (Jewel) e ‘40 anos a dar no duro’ de Xutos e Pontapés, ‘As Canções Das Nossas Vidas’ de Tony Carreira, ‘Mariza’ de Mariza, ‘Thanks for the dance’ de Leonard Cohen, ‘When we all fall asleep, where do we go?’ de Billie Eilish, ‘Aqui está-se sossegado’ de Camané & Mário Laginha e ‘Do Avesso’ de António Azambujo, tendo a música nacional destaque na lista dos mais procurados.

O grupo Wet Bed Gang e os artistas Proj. JamPlutónio e Julinho Ksd são os Portugueses em destaque no top de vendas de streamsingles e ep’s digitais, em 2019.

O relatório completo dos números de mercado de 2019 está disponível em www.audiogest.pt

Fonte: Green Media
Facebook Linkedin Twitter Pinterest

Tem um projecto em mente?

Teremos o maior prazer em concretizá-lo.