Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Comunicados

O Streaming de música representou o maior aumento dos serviços online com crescimento de 20.5% em relação ao ano anterior

AFP (Associação Fonográfica Portuguesa) e a AUDIOGEST (Associação de Gestão de Direitos de Produtores Fonográficos) divulgam resultados do relatório anual do mercado discográfico de 2020 com um total de ?37 milhões de receitas nacionais de música gravada e dos direitos de artistas e produtores musicais. Comparativamente a 2019, o mercado musical nacional assinala um aumento de 4%.

As receitas nacionais reportadas em 2020, relativas a sincronizações e vendas, incluindo disponibilização em plataformas digitais registam ? 21.413 milhões, significando um aumento de 3.6% face a 2019, na totalidade, tendo o mercado digital a relevância de ? 15.821 milhões ao corresponder a 73,9% do global, seguido o Físico com 25,3% (?5.4 milhões) e Sincronizações com 0,8% (181.727?).

O Streaming representa o maior aumento dos serviços online com um crescimento de 20.5% em relação ao ano anterior e com um total de 96% do mercado digital, resultando no decréscimo nos descarregamentos (?download?), correspondendo a 2,7% das receitas e o serviço Mobile, 1,2%. 

No que se refere ao uso do Streaming, as Subscrições correspondem a 59.2% das receitas (?8,990 mm) com uma subida face ao ano transato de 13,8%, revelando o Streaming suportado por publicidade uma subida de 57,6% que corresponde a 20,8% (? 3,157 mm) e um aumento de 12,5% das receitas provenientes do uso de Vídeos (? 3,044mm), equivalendo a 20%.

Concluiu-se, ainda, que o mercado de vendas físicas registou uma forte queda ao apresentar uma redução de 19,8% (para ? 5,410mm) em relação a 2019. As receitas de venda de Álbuns representam a maior participação do mercado físico (95.8%) , e estão divididas em 55.3% (?2,869mm) no formato CD, que registou queda de 39,9% em relação ao ano anterior e 44.6% (2,311mm) em Vinil, que registou crescimento de 38%. 

Quanto ao repertório, a música nacional regista 21,8% das receitas em suporte físico e 16,6% no digital. O consumo de música estrangeira, regista 78,2% nos suportes físicos e 83,3% de participação nos suportes digitais.

Relativamente ao desempenho de Direitos de Produtores e Artistas, o volume total regista uma evolução positiva, atingindo a marca de ?15,6 milhões em 2020, o que resulta, em mais 4,6% comparado com 2019.

No top 3 de músicas mais ouvidas nas Rádios pelos portugueses, fazem parte: ?Blinding Lights ? de The Weeknd , ?Menina Solta ? de Giulia Be e ?Sei Lá? de Bárbara Tinoco.

Os líderes dos três primeiros lugares dos álbuns mais vendidos contam com a presença de ?MAP OF SOUL: 7 ? dos BTS, ?FINE LINE? de HARRY STYLES  e ?MARIZA CANTA AMÁLIA? de MARIZA. Nos vídeos musicais, o DVD de maior destaque entre os artistas portugueses foi o ` 360 ALTICE ARENA` de David Carreira, com a 2ª posição entre os mais vendidos em Portugal.

Os destaques portugueses no top de vendas de streamsingles e ep?s digitais, em 2020 são: `Louco` de Piruka & Bluay , `Tempo` de FRANKIEONTHEGUITAR feat. Tóy Tóy T-Rex, Lon3r Johny & Bispo,  ` Somos Iguais` de Plutónio e `Te Amo` dos Calema.

O relatório completo dos números de mercado de 2020 está disponível em www.audiogest.pt

Fonte: Green Media
Facebook Linkedin Twitter Pinterest

Tem um projecto em mente?

Teremos o maior prazer em concretizá-lo.